MENSAGEM DE BOAS-VINDAS

Caras e Caros Colegas, 

Cá estamos outra vez a realizar um Congresso. Cinco anos depois do primeiro, a APM volta a propor discutir a criança e os seus problemas.

A vantagem de não estabelecermos uma periodicidade para estes congressos é a de só o termos de realizar quando achamos que vale mesmo a pena falar de alguns temas que pensamos transversais à Pediatria e aos Pediatras.

Se “Mais do que a soma das partes“ queria chamar a atenção para o risco de desmembrar o doente, e principalmente o doente crónico, num conjunto de patologia de órgãos e sistemas, tratado em vários locais e por variados profissionais, em detrimento do  doente como um todo e uma pessoa, “A peça que falta“ volta a abordar os cuidados ao doente complexo, agora do ponto de vista da incompletude (e não estamos a falar de teorema da Matemática).

O doente complexo é um puzzle com muitas peças, desde o diagnóstico, ao tratamento, à influência socio familiar. Tantas vezes verificamos que após montar à sua volta uma estrutura penosamente elaborada, falta qualquer coisa, para dar sentido àquele conjunto de queixas.

E temos de ter a coragem e a determinação de voltar ao princípio. De nos questionarmos.

Mais uma vez dando ênfase à interactividade entre preletores e assistentes, estamos a construir um outro puzzle, o 2º congresso, que pelo S João, procurará, num contexto divertido, fazer pensar mais do que ensinar, questionar mais do que assentir.

Venham todos. Não sejam a peça que falta.

Dr. Gonçalo Cordeiro Ferreira
Diretor da Área da Pediatria Médica – CHLC.EPE